Cai o número de homicídios em Curitiba

De janeiro a junho deste ano, o número de homicídios em Curitiba caiu 15,08%: foram 358 crimes de morte durante esses seis meses em 2011 e 304 no mesmo período deste ano. A diminuição nesse tipo de crimes se repetiu na Região Metropolitana de Curitiba, onde o índice ficou 3,28% abaixo, na comparação como ano passado (427 homicídios em 2011 e 413 em 2012).

Apenas no mês de junho, a capital registrou 41 mortes, enquanto no mesmo mês do ano passado foram 57, uma redução de 28,07% no índice desse tipo de crime. Nas cidades da Região Metropolitana de Curitiba, foram 46 homicídios no mês de junho, e 57 em 2011, queda de 13,21%.

Para o governador Beto Richa, a queda na criminalidade é resultado de um trabalho integrado. “Estes dados comprovam que com planejamento e estudo técnico é possível alcançar a tão esperada redução da criminalidade e a maior tranquilidade para o povo paranaense”, destacou durante a solenidade instalação da Unidade Paraná Seguro (UPS) na Vila Osternack, região Sul da capital, nesta segunda-feira (06).

Das 304 mortes por assassinato registradas na Capital, 52 ocorreram na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), aponta o Relatório Estatístico Criminal – Crimes Relativos à Morte, divulgado hoje pela Secretaria de Estado da Segurança Pública.

Uma das regiões mais violentas da cidade e do Estado, segundo levantamento da secretaria, a CIC recebeu, no mês de julho, a instalação de quatro Unidades Paraná Seguro (UPS), nas vilas Verde, Caiuá, Nossa Senhora da Luz e Sabará. As bases de policiamento comunitário também estão em funcionamento nos bairros Uberaba e Parolin.

Interior
A tendência de queda no número de homicídios se repetiu no interior do Estado,como as áreas integradas de segurança pública de Ponta Grossa (-30,77%); Guarapuava (-11,63%); Umuarama (-41,94%); Apucarana (-33,33%); Rolândia(-7,41%); Cornélio Procópio (-42,31%); São Mateus do Sul (-31,25%), União da Vitória (-10%) e Jacarezinho (-47,06%).

Em todo o Estado, aconteceram 1.552 homicídios no primeiro semestre deste ano, contra 1.531 no mesmo período do ano passado. As localidades mais críticas são Londrina, Foz do Iguaçu e Cascavel. “Londrina deve receber umas das primeiras UPS que planejamos para o interior”, confirmou o secretário. “Na região Oeste instalamos o Batalhão de Fronteira, há duas semanas, para reforçar a presença policial”.

Relatório
As informações constam no Relatório Estatístico Criminal – Crimes Relativos à Morte, divulgado pela Secretaria de Estado da Segurança Pública nesta segunda-feira (06). As informações estão divididas pelos 399 municípios do Paraná e, em relação à capital, os dados estão divididos por bairros, o que é novidade na divulgação deste mais recente relatório.
“Optamos por divulgar um relatório em separado sobre os crimes de morte buscando maior detalhamento nos dados. Seguindo orientação do governador Beto Richa, vamos sempre prezar pela transparência na divulgação de informações”, afirma o secretário da Segurança Pública, Reinaldo de Almeida Cesar. Neste relatório, além de informações sobre homicídios dolosos (assassinatos), também começam a ser divulgados dados sobre latrocínio (roubo seguido de morte) e lesão corporal seguida de morte (quando uma agressão acaba resultando em morte).

Dentro dessa diretriz de transparência, o secretário da Segurança Pública ressalta que o Paraná, diferente de alguns estados, contabiliza o número de vítimas fatais, não apenas de um evento criminoso. Por exemplo, se acontece um triplo homicídio, são contabilizadas as três mortes e não apenas um acontecimento.

Sob a responsabilidade da Coordenadoria de Análise e Planejamento Estratégico, o relatório estatístico criminal da Secretaria de Estado da Segurança Pública é divulgado a cada três meses, mas os dados são estratificados nas tabelas por cada mês. Os relatórios completos estão disponíveis do site oficial da Segurança Pública (www.seguranca.pr.gov.br), pelo link na coluna ao lado esquerdo: Gestão da Segurança e, em seguida, Estatísticas.

Veículos

Em todo o Paraná, a quantidade de veículos furtados ou roubados que foram recuperados pela polícia teve um aumento expressivo, quando comparado o segundo trimestre de 2012 com o mesmo período do ano anterior. Foram 5.035 os veículos registrados como furtados ou roubados, o que mostra um aumento de 12,92% nesse tipo de crime. Em contrapartida, o índice de recuperação desses veículos subiu 49,27%, de abril a junho.

Na capital, o índice de furto e roubo de veículo teve acréscimo de 12,34%(de 1.977 para 2.221 ocorrências), enquanto a recuperação dos mesmos subiu 37,34% (932 para 1.280 recuperações). Já o interior do Estado registrou 13,38% mais roubos e furtos de veículo, com aumento na recuperação de 58,04%.

Polícia Civil
O Instituto de Identificação montou um posto móvel na Rua Eduardo Pinto da Rocha próximo à Escola Municipal Carlos Drummond de Andrade, na região da UPS da Vila Osternack. Além da confecção de carteiras de identidade, o trabalho de polícia cidadã também ofereceu, através da Assessoria de Relações com a Comunidade, a confecção de boletins de ocorrência (B.O.s) com o uso da Delegacia Eletrônica (www.delegaciaeletronica.pr.gov.br).

O Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria), o Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas (Sicride) e a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) realizaram atividades lúdicas com crianças durante todo o dia no mesmo endereço.

O Núcleo de Repressão aos Crimes contra a Saúde (Nucrisa) também vai fazer atividades de orientação e prevenção contra acidentes de trabalho e de crimes que envolvem a saúde, que vão desde os cuidados para a escolha de um médico apto a atender o paciente até a atenção para não consumir remédios falsificados ou de procedência duvidosa.

http://www.policiacivil.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=6030

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.