A Polícia Civil está oficialmente de luto desde a manhã desta segunda-feira (05). A dor e o sofrimento das famílias de dois investigadores mortos num grave acidente automobilístico, por volta das 7h, na PR-483, em Francisco Beltrão, sensibilizou a todos os policiais civis do Estado. O delegado geral, Marcus Vinícius da Costa Michelotto, decretou o luto e desejou votos de força para os familiares dos dois rapazes, que recentemente tinham passado a fazer parte dos quadros da Polícia Civil.

O acidente que tirou as vidas de Vinícius Fernandes dos Santos, 33 anos, e Rodrigo Augusto Stankevecz, 26 anos, aconteceu logo no início da manhã. Os dois se deslocavam de Foz do Iguaçu com destino a Pato Branco, onde participariam da primeira aula da turma da Escola Superior de Polícia Civil (ESPC) no interior. Segundo o delegado titular da 5.ª Subdivisão Policial de Pato Branco, Ivonei Oscar da Silva, os dois estavam lotados nas cidades de Mangueirinha e Clevelândia, mas como eram novos na corporação, ainda faziam mais serviços administrativos. O trabalho operacional de policial civil só passaria a ser feito por eles após os quatro meses de curso na ESPC. “Eles bateram de frente com um caminhão e morreram na hora”, lamentou o delegado.

Tristeza
A tristeza pela morte dos dois atravessou o Estado. Na aula inaugural das turmas de policiais que foi ministrada nesta manhã em Curitiba, na ESPC, houve a realização de um minuto de silêncio. “A gente ficou sabendo bem na hora que a aula iria começar. Eu já os conhecia, pois eles tinham feito um mês de aulas aqui anteriormente. É uma tristeza muito grande”, disse o diretor da ESPC, delegado Luiz Fernando Viana Artigas Júnior.

A aula inaugural para os 180 novos alunos da ESPC em Curitiba foi ministrada pelo advogado Dálio Zippin Filho, da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

http://www.policiacivil.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=6031

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.