O delegado Renato Coelho de Jesus está fazendo história na Polícia Civil. Depois de 16 anos dentro da instituição, ele conseguiu o que nenhum outro delegado havia conseguido até então: ser copiloto de helicóptero do Grupamento Aeropolicial-Resgate Aéreo (Graer). A façanha de Jesus não deve parar por aí. Agora como copiloto ele precisa de no mínimo 500 horas de voo para poder chegar a piloto. Pela dedicação e pelo desejo do delegado, isso deve acontecer logo. “Tenho que agradecer muito ao secretário de Segurança Pública, Reinaldo de Almeida Cesar, ao delegado-geral, Marcus Vinícius da Costa Michelotto e ao tenente-coronel Orlando Artur da Costa, comandante do Graer, pelo apoio”, afirmou o delegado, ressaltando a importância de o Graer passar a receber policiais civis na gestão Beto Richa.

Segundo o delegado, desde março deste ano o Graer, que agora é um órgão da Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp) abriu vagas para quatro delegados pilotos, quatro investigadores pilotos e oito investigadores tripulantes operacionais. “A ação do helicóptero numa operação dá a sensação de segurança à população e aos policiais que estão fazendo o trabalho em terra. Com o helicóptero também podemos ter uma visão ampla do perímetro da ação e fazer resgates, quando necessários, da maneira mais ágil possível”, destacou Jesus.

Jesus contou que voar era um sonho antigo. Ele disse que já chegou a fazer curso de pilotagem comercial. Lotado em várias unidades na capital, como na Homicídios, Cope, Denarc e na Delegacia do Adolescente, Jesus passou algum tempo lotado em Foz do Iguaçu também. “Assim que eu voltei, abriu a oportunidade e eu logo comecei a fazer a preparação para o trabalho no Graer”, contou.

http://www.policiacivil.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=6190

 

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.