Sindicato dos Delegados de Polícia do Paraná

A Comissão de Direitos Humanos “Irmãos Naves”, neste ato representada por seu  Coordenador Geral de Ações, Delegado de Polícia, Cláudio MARQUES Rolin e Silva, diante das inúmeras informações equivocadas, que atingem e denigrem a imagem da Polícia Judiciária como um todo,  vem à público prestar os seguintes esclarecimentos:

Com relação as afirmações da Promotora Adriana Câmara, que fala de omissão das Instituições, ao referir-se à supostas irregularidades do Fundo Rotativo da Polícia Judiciária, convém registrar que esta afirmação é leviana e irresponsável.

Todas as informações foram prestadas em tempo hábil, e se a Ilustre Promotora não teve tempo para proceder a devida análise ou, não entende a sistemática do Fundo Rotativo, em respeito às Instituições, deveria solicitar maiores esclarecimentos, ao invés de fazer afirmações levianas e de forma a colocar uma nuvem de dúvidas sobre a atuação de todas as Autoridades Policiais do Estado.

No mesmo sentido, em reprovável atitude, poderíamos afirmar que os esclarecimentos prestados à esta Comissão, pelo diligente Procurador Geral de Justiça, através do ofício n.º 1.474/12,  acerca da legalidade do auxílio alimentação concedido aos Promotores de Justiça, e retroativo  a maio de 2004, não esclareceu nada, o que seria uma irresponsabilidade, tendo em vista que a análise destes esclarecimentos ainda não foram concluídas por esta Comissão.

Convém registrar que algumas Unidades Policiais recebiam por mês, valores bem inferiores ao tal “auxílio alimentação”.

Com relação às promoções, informamos que os Delegados de Policia também integram as carreiras jurídicas e sabem, se necessário, recorrer ao Sr. Secretário de Segurança Pública ou ao Poder Judiciário, não necessitando portanto da tutela do Ministério Público.

Esta atitude eivada de irresponsabilidade produz resultados funestos, pois o desrespeito entre as Instituições só serve para o aumento do medo e fortalecimento do crime organizado.

A Comissão de Direitos Humanos “Irmãos Naves”, através de seu Coordenador Geral de Ações, está à disposição para prestar qualquer outro esclarecimento.

                                                          Curitiba, 18 de dezembro de 2012.

                                                     Cláudio Marques Rolin e Silva

                                                   Coordenador Geral de Ação

                                    Comissão de Direitos Humanos “Irmãos Naves”


Cadastre-se

Cadastrar

Redes Sociais