‘CASO TAYNÁ  –  INJUSTIÇA”

Caso TAYNÁ. POLICIAIS EM “CATIVEIRO”, ESTUPRADORES “PROTEGIDOS”.

 

Nossos Policiais completarão amanhã setenta dias recolhidos no “cativeiro da injustiça”. A cada dia que passa fica mais evidente que as investigações iniciais estão corretas. Os autores do estupro e assassinato brutal da adolescente Tayná, continuam indevidamente sob proteção.

Este é um caso específico que serve para mostrar à todos que os Promotores do GAECO se movem com o único objetivo de denegrir  a imagem da Polícia Judiciária.

As prisões dos nossos Policiais foi uma medida precipitada e abusiva. Os filhos de alguns destes Policiais não estão mais indo à escola, constrangidos pelo teor de reportagens levianas e mentirosas sobre um caso que está em segredo de justiça.

Diferente do Caso JOÃO MARCOS, o caso Tayná não cairá no esquecimento.

A injustiça praticada contra os nossos Policiais jamais poderá ser corrigida.

A incompetência, a pressa e a má-fé dos Promotores do  GAECO está sendo exposta em suas entranhas.

Haverá uma manifestação nesta quarta feira, às 15 horas na Boca Maldita. Será um CLAMOR POR JUSTIÇA. Esperamos que o Poder Judiciário corrija com a maior urgência esta aberração, pois insistimos em acreditar que AINDA EXISTEM JUÍZES NO PARANÁ.

 

Claudio Marques Rolin e Silva

Presidente do SIDEPOL (em exercício)

Coordenador Geral de Ações da Comissão de Direitos Humanos “Irmãos Naves”

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.