Curitiba, 12 de maio de 2014.

 

O Sindicato dos Delegados de Polícia do Paraná, vem a público externar a seguinte manifestação;

Mais uma vez estamos aqui a lamentar a morte e ferimentos de Servidores cumprindo uma missão que não é da Polícia Judiciária.

A morte do Servidor Eliel Schinaski  Santos e os ferimentos de Benedito Rodrigues dos Santos e também do Investigador de Polícia  Diego Elieser Almeida era previsível, assim como é tambem previsível a ocorrência de tragédias semelhantes em todas as demais Delegacias de Polícia que mantenham carceragens ilegais, aos cuidados da Polícia Judiciária.

Esta insistência em fazer de Delegacia de Polícia uma unidade prisional está custando um preço de sangue, além do não menos grave desvirtuamento de finalidade que é o policial civil cuidando de presos e afastado de sua missão constitucional que é a de investigar a ocorrência de ilícitos penais, em detrimento da sociedade que paga a sua remuneração.

Simplesmente não existe dispositivo legal que o obrigue a isso, e também o policial civil não recebe treinamento para tal mister, ou sequer remuneração extra por esta outra função pública que acaba indevidamente assumindo, no caso, a de agente penitenciário e ou diretor de presídio.

Delegacias de Polícia devem ser verdadeiros centros de promoção da cidadania, e a primeira medida é cessar esta ilegalidade.

Reconhecemos os esforços e boas intenções, porém o caso é urgente e a continuar esta indefinição outras tragédias virão.

Apoiamos todo e qualquer movimento dos nossos Policiais, e não descansaremos enquanto houver um único preso no Paraná recolhido ilegalmente m Delegacia de Polícia.

Aos familiares e  amigos dos Servidores, nosso  profundo pesar.

 

.

Curitiba, 12 de maio de 2014.

Claudio MARQUES Rolin e Silva

Presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia do Paraná.