O Sindicato dos Delegados de Polícia do Paraná, lamenta profundamente a trágica morte dos jovens Policiais Militares Diego Gurgel de Araújo e Jorge Luiz da Fonseca, ocorrido na cidade de Medianeira/PR, na noite de 04 de agosto de 2014. Segundo informações prestadas à Comissão de Direitos Humanos Irmãos Naves, os Policiais Militares assassinados eram casados, sendo que  Diego Gurgel de Araújo era pai de uma menininha de 04 anos de idade. Sabemos que em nossa difícil e árdua missão, caminhamos sempre bem próximo da morte todos os dias. Lamentavelmente chegamos a um ponto em que todas as nossas ações são levianamente criticadas e vários Policiais tem sido vítimas de acusações notoriamente  infundadas. Muitos foram presos de forma precipitada, e após a comprovação de sua inocência, nenhum ato público foi feito na tentativa de reparar a grave injustiça. Hoje, a instalação de câmeras em todas as viaturas Policiais é de extrema necessidade e urgência, e é medida defendida por todos os integrantes das Polícias Judiciárias e das Polícias Militares comprometidos em servir e proteger a sociedade. Esta medida não servirá apenas para conter uso desproporcional de força, mas principalmente para mostrar à sociedade as dificuldades de nossa missão, e ainda proteger o Policial de falsas acusações. As imagens servirão para comprovar a transparência e a legalidade da ação Policial. Somos ferrenhos defensores de Direitos Humanos, mas nunca devemos esquecer que Policiais e vítimas também são seres humanos. À todos os familiares e amigos dos Policiais Diego Gurgel de Araújo e Jorge Luiz da Fonseca o nosso profundo pesar. À todos os integrantes da gloriosa Polícia Militar expressamos a nossa profunda tristeza neste momento em que a grande família Policial encontra-se de luto, mais uma vez. Que Deus abençoe e proteja à todos nesta tão difícil, mas tão nobre e honrosa missão de ser POLICIAL.

 

Claudio MARQUES Rolin e Silva, Delegado de Polícia.

Presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia do Paraná.

Coordenador Geral de Ações da Comissão de Direitos Humanos Irmãos Naves.