Sindicato dos Delegados de Polícia do Paraná

Por  Claudio Marques Rolin e Silva

 

Nas mãos do Ministério Público, a Operação Lava Jato ficou parecida com “bombril”, pois passou a ter muitas utilidades. Em São Paulo, os promotores que acusaram e pediram a prisão preventiva do ex-Presidente Lula no caso da Cooperativa Bancoop, tiveram seus momentos de fama. Procuradores Federais do Paraná entraram em depressão profunda, pois durante alguns dias o MP de São Paulo roubou os holofotes. Juristas independentes e conceituados criticaram o abuso e um profissional do jornal Folha de S. Paulo, reproduzindo uma opinião de terceiro, chamou o patético trio de promotores de “três patetas”. Resultado: a Folha foi processada e se viu obrigada, por sentença, a pagar R$30.000,00 para cada um dos promotores. A juíza sequer recebeu a denúncia que classificou de “vazia”. Não é algo de fato, digamos, patético? Não sou um admirador do ex-presidente Lula ou da ex-presidente Dilma, mas o fato de não gostar deles e não ter votado neles, não me dá o direito de concordar com abusos contra eles.

Hoje, se critico a falta de competência e a desqualificação moral do Ministério Público, falam que estou “cerceando” a Lava Jato. Se afirmo que o “teto 2 ” é crime, sou “contra” a Lava Jato. Se digo que é imoral a farra do “auxilioduto”, sou “crítico” da Lava Jato. Se classifico a corrupção jurídica institucional de farra do auxílio moradia e outros, estou “enfraquecendo” a Lava Jato. Se digo que toda autoridade pública deve responder por seus atos em casos de abusos, estou tentando “calar” a Lava Jato. Como se vê, a Operação Lava Jato, um dos grandes esquemas de corrupção desvendado unicamente pela Polícia Federal, foi “sequestrada” pelo Ministério Público para fortalecer e turbinar a prática da corrupção jurídica.

Quando o Senador Roberto Requião não concordou com as mudanças de Janot, os três procuradores da Lava Jato gravaram um vídeo que classifico como “extremamente ridículo”. A Procuradora chega a citar a PEC 37 como medida de combate à corrupção, pois “permitiu ao MP investigar”. Uma piada. Na verdade, o MP, acumulando as funções de investigar e acusar, sem conhecimento das Polícias Judiciárias, apenas reforçou os métodos para a prática da corrupção jurídica. Por essa razão é hoje o Ministério Público mais caro do mundo, que ostenta os mais altos salários do mundo, os mais impensáveis “auxílios” do mundo, e é, também, um dos menos transparentes do mundo. Este foi o efeito da rejeição da PEC 37 em apenas três anos. Os Senadores Álvaro Dias  e Roberto Requião entraram na mira do Ministério Público, não por prática de desvios de conduta, mas por ainda ousarem sustentar posições firmes  que contrariam os interesses da máfia da toga. Álvaro Dias, por defender o fim do foro privilegiado para todas as autoridades, incluindo juízes e promotores. Roberto Requião, por defender que autoridades que investigam, acusam e julgam devem ser responsabilizadas em caso de abusos. Abuso fundamentado não deixa de ser abuso. É possível fundamentar qualquer sandice, como demonstra o fato do Ministério Público encontrar fundamentação para pagar auxílio alimentação e moradia para seus membros que já recebem R$30.000 por mês. Ambos os Senadores querem “cercear” a Lava Jato na visão hipócrita do Ministério Público. Não sei a razão de tanta gritaria. Afinal, em casos de abusos da “confraria da toga”, promotores serão acusados por outros amigos promotores e os juízes serão julgados pelos colegas juízes, ou seja, o risco de uma condenação é igual a zero.

O Conselho Nacional do Ministério Público sempre funcionou como uma espécie de “sindicato sem ética” de procuradores e promotores. Para comprovar isso, basta ver a decisão proferida no Caso João Marcos. Minha decepção foi tanta com o tal CNMP, que, mediante ofício, recomendei a Rodrigo Janot a celebração de um Termo de Ajustamento de Conduta Moral. Uma vergonha. Os Policiais serão mesmo os únicos punidos, mesmo com acusações infundadas que é praxe do MP.  O Procurador Deltan deverá gravar um novo vídeo dizendo que o fim do foro privilegiado é um ataque frontal e leviano à Lava Jato. Assistindo o vídeo recente dos “três mosqueteiros” do Paraná, contra a decisão do Senador Requião, recordei-me do episódio dos “três patetas” da Folha de S. Paulo. Deduzo que a Folha corre agora o sério risco de ser processada pelos Três Patetas por compará-los aos três promotores. Somando a “Operação power-point” e a mais recente superprodução da “Operação  Hollywood” do Deltan e seus amigos, é difícil não cair na gargalhada. Eles conseguiram uma grande proeza; foram mais engraçados do que os “três patetas” originais.

Com certeza, o Senador Roberto Requião será “incluído” nas delações das próximas semanas por ter tido a ousadia de desafiar o todo poderoso Rodrigo Janot. Álvaro Dias também, se insistir em extinção do foro privilegiado para a máfia da toga. E como farão isso? Simples, em delações de executivos, basta dar o nome do “político desejado”, prometer uma “tornozeleira”, e aguardar o Jornal Nacional. Com o fim do foro privilegiado e a aprovação da lei do abuso de autoridade, teremos os ingredientes necessários para desencadear a “Operação Lava Toga”. Sérgio Cabral tem muito a dizer sobre 97 integrantes da máfia jurídica, mas parece que Janot não se interessou muito pelo assunto. Qual será a razão? Aguardamos Deltan e seu novo vídeo para dar estas explicações.

 

 

Marques, Claudio Marques Rolin e Silva, é Delegado de Polícia do Paraná. Graduado em Direito e Teologia. Pós graduado em Direito Público e Especialista em Gestão de Segurança Pública. Presidente do SIDEPOL PR. Coordenador Geral de Ações da Comissão de Direitos Humanos Irmãos Naves. Professor de ética, Direitos Humanos e Liderança da Escola Superior de Polícia Judiciária do Paraná. Autor da obra – Operação Sepulcros Caiados I – Desvendando a “face oculta” do Ministério Público Brasileiro. Único livro de ciências políticas que desvenda os mistérios da corrupção jurídica.

O autor lidera uma campanha pelo fim do foro privilegiado e é autor das 07 Medidas de Combate A Corrupção Jurídica. Para conhecer e apoiar acesse os sites abaixo.

www.fimdoforoprivilegiado.com.br ou www.operacaosepulcroscaiados.com.br


Comentários fechado.


Cadastre-se

Cadastrar

Redes Sociais