Sindicato dos Delegados de Polícia do Paraná

É inacreditável a incapacidade de nossas autoridades para perceberem o risco de colapso total que estamos correndo como sociedade. Sou também contra a greve de Policiais e sempre lutarei por isso, pois a parcela mais vulnerável da sociedade, a parcela a que pertencem os Policiais e seus familiares, é a que mais sofre as consequências de tais atos.

Interessantes as palavras dos Ministros, notadamente do novato Alexandre de Moraes. Em um discurso raso, afirma que “ninguém obriga ninguém a ser Policial, e ninguém o obriga a permanecer Policial”. Causa inveja a capacidade do novato de produzir tanta “sabedoria” em tão poucas palavras. Policiais não são como juízes, promotores ou Ministros, que, a cada passo que dão, inventam um meio de desviar recursos públicos através do “auxilioduto”.

Policiais amam suas profissões, mas também tem filhos, esposas, receios e anseios, como qualquer outro cidadão. Sempre cumpriremos a nossa missão, mas precisamos pelo menos de condições mínimas de sobrevivência e cidadania, notadamente o que não figuram no topo das carreiras policiais.

Sugiro aos Ministros do STF que votaram contra o direito de greve dos Policiais, que façam uma pesquisa entre as Forças de Segurança e verifiquem quantos Policiais trocariam seus salários apenas pelos “auxílios” alimentação, moradia, creche, educação, livros, paletó e saúde que são pagos aos juízes e promotores do Brasil.

Podem acreditar, sem salários, só com os auxílios citados, não haveria o menor risco de greve.

Peço aos honrados e corajosos Policiais do Brasil que não se desesperem com as reformas ou com proibições de greves. Exercemos uma missão divina que é servir, proteger e buscar a verdade.

Temos um caminho transparente, seguro, ético e democrático a seguir. Apesar da alienação de nossas autoridades, eu imploro: permaneçam resolutos no propósito de cumprimento de nossa divina missão.

Não precisaremos de greve, mas continuem firmes em defesa de toda a sociedade neste momento de destruição da previdência, pois a redução drástica da rede de proteção social acarretará a elevação dos índices de violência a patamares nunca antes imaginado.  Contamos e confiamos em cada um dos Senhores Policiais. Não desanimem e não se desesperem. Temos um caminho ético, moral e legal a ser seguido. Confiem.

 

Claudio Marques Rolin e Silva

Coordenador Geral de Ações da C.D.H. Irmãos Naves.


Comentários fechado.


Cadastre-se

Cadastrar

Redes Sociais