Nota de apoio e esclarecimento: Caso Delegado Deoclécio Detros

     A Comissão de Direitos Humanos Irmãos Naves, buscando restabelecer a correta informação sobre a atuação do Delegado de Polícia Deoclécio Detros, vem a público prestar os seguintes esclarecimentos:
    Sempre apoiaremos toda a qualquer apuração sobre desvios de condutas, desde que tais investigações sejam conduzidas com estrita observância aos direitos e garantis das pessoas investigadas, investigações isoladas, sem a participação efetiva da Corregedoria da Polícia quase sempre buscam ocultar abusos e precipitações.
    Lamentável que em um procedimento que tramita em sigilo, as palavras de um detento interessado em uma remoção urgente tenham sido amplamente divulgadas de forma intencional, manchando a honra, dignidade e a reputação de um Delegado de Polícia que conta com mais de trinta anos de carreira e contra qual nunca pesou nenhum tipo de acusação. Referido Delegado, por sua conduta ao longo de toda sua carreira foi agraciado com as medalhas de bronze, prata e ouro.
    Pela Comissão de Direitos Humanos Irmãs Naves, também dispomos de depoimentos de terceiros sobre crimes graves de corrupção e fraudes processuais praticados no âmbito do Ministério Público do Paraná e GAECO. Por se tratar de “falas de terceiros” sobre fatos ainda em apuração, nunca encaminhamos à imprensa para divulgação.
    Todavia, face à postura de desrespeito e interesse claro em denegrir a imagem do Servidor e da Instituição, na próxima semana encaminharemos tais depoimentos ao Procurador Geral da Justiça, e também aos órgãos de imprensa, para que estes promovam a ampla divulgação dos depoimentos, da mesma forma como foi feito com os integrantes da Polícia Judiciária neste lamentável episódio.
 

Marques – Claudio MARQUES Rolin e Silva
Delegado de Polícia
Coordenador Geral de Ações C. D. H. Irmãos Naves

 
Resolução 53/144 da Assembleia Geral da ONU de 09 de dezembro de 1998, art.1° – Todas as pessoas tem o direito, individualmente e em associação com outras, de promover e lutar pela proteção e realização dos Direitos Humanos e das liberdades fundamentais a nível nacional e internacional.

Documento original: