Mais pressão do SIDEPOL contra o Governo Ratinho Júnior

Dando sequência às estratégias para pressionar o Governador Ratinho Júnior de todas as formas possíveis, o SIDEPOL enviou o ofício n.º 70/2019 ao Excelentíssimo Senhor Dr. Reinhold Stephanes, Secretário de Estado da Administração e Previdência, solicitando informações sobre a possibilidade do Estado não estar repassando a parte patronal da contribuição previdenciária dos servidores públicos estaduais, o que pode configurar, em tese, improbidade administrativa (veja a íntegra do ofício logo abaixo desta matéria). Entende a diretoria da entidade que a categoria tem poucas possibilidades de ser atendida nas suas reivindicações apenas indo a campo, com “apitaços”, carros de som e movimentação da categoria em frente ao Palácio ou à Assembleia Legislativa, uma vez que, respeitando-se opiniões contrárias, o que mais pode constranger o governo a rever sua obstinada luta contra o funcionalismo público é o receio de sofrer sanções a nível judicial, condenações por improbidade administrativa e até eventuais ilícitos penais. Para tanto, o SIDEPOL já oficiou ao Sr. Chefe da Casa Civil do Governo Paranaense, requisitando informações acerca de quantos cargos em comissão existem atualmente no Estado do Paraná, quem são os “comissionados”, onde eventualmente trabalham, que atividade desempenham e quais os respectivos horários de trabalho de cada um. Como se sabe, o pagamento de salário a quem efetivamente não trabalha – o chamado servidor fantasma – caracteriza para ambas as partes, comissionado e quem nomeou, improbidade administrativa, que a partir de agora será investigada, documentada e levada ao conhecimento da Divisão Contra a Corrupção e o Ministério Público para as devidas providências. Também coube ao SIDEPOL a proposta – aprovada por unanimidade na semana passada por todos os líderes sindicais reunidos na entidade – para a realização do enterro simbólico dos parlamentares que se elegeram a pretexto de representar as forças policiais, mas que votaram a favor do governo pelo fim da licença prêmio, a fim de que, como medida pedagógica, sejam desestimulados a votar contra os interesses daqueles que os elegeram, ato que deverá ser realizado nos próximos dias.

Clique aqui para acessar o ofício.