Palavra do Presidente

PALAVRA DO PRESIDENTE

Dando continuidade às novas diretrizes do SIDEPOL, onde os Diretores possuem total autonomia para a atuação em defesa das prerrogativas dos Delegados de Polícia, promoveu-se, por iniciativa do Diretor Jurídico e do Diretor de Relações Intersindicais, no dia 22 próximo passado, uma reunião com a participação de vários sindicatos e/ou associações da área da Segurança Pública do Estado, além de representantes de outras classes de funcionários públicos estaduais.

            Tal reunião teve como escopo analisar, discutir e propor reações diante das diversas PECs/Projetos encaminhados pelo Senhor Governador Ratinho Junior à Assembleia Legislativa do Estado, que reduzem drasticamente os direitos dos funcionários públicos do Estado, dentre esses, os policiais civis.

            O Senhor Governador, antecipando-se a reforma previdenciária a nível nacional (a chamada PEC Paralela), em um ato de total desrespeito com os responsáveis pela segurança pública do estado, suprimiu vários direitos constitucionais e históricos conquistados por uma categoria que reconhecidamente possui suas especificidades diante das demais carreiras.

Além de aumentar a contribuição previdenciária de 11% para 14% para todos os funcionários da ativa e para os aposentados; na iniciativa privada o trabalhador não contribui após sua aposentadoria; o Governador propôs reduzir à metade o valor a ser recebido pela viúva/viúvo do policial civil aposentado no caso de sua morte. 

A luta dos policiais civis pelo reconhecimento de seus direitos e de suas especificidades na sua atuação é histórica. Não é de hoje que somos afetados por Governadores que foram incapazes de gerir com eficiência as finanças do Estado e o fundo da Paraná Previdência. O atual Governador Ratinho foi Secretário de Estado do anterior Governador Beto Richa e demostra o mesmo desprezo com os policiais civis do Paraná. A luta é árdua e os representantes tentam de várias formas aferirem conquistas, ou, no mínimo, tentando evitar a redução ou eliminação dos direitos.

Nesta nova gestão do SIDEPOL estamos procurando novas formas de atuação, vamos agir com mais rigor. Nas causas que atingem a todos, vamos buscar a união entre as classes policiais, e nas que dizem respeito somente aos Delegados de Polícia, buscaremos o formal apoio de todos. As carreiras da base da Policia Civil precisam voltar a acreditar na união entre todos os policiais civis de todas as classes e carreiras.

Como exemplo dessa nova forma de agir, ressaltamos as iniciativas exitosas dos membros da Diretoria do SIDEPOL, Drs. Zavataro, Gilson Algauer, José de Deus e outros, que com apoio de alguns Investigadores colocaram faixas de repúdio em várias Delegacias e lugares públicos com o alerta e protesto contra as medidas do atual governo. A medida quase inédita em termos de SIDEPOL – mas que é comum na atuação de outros Sindicatos – incomodou tanto a Administração, que houve retaliações e determinações para que os chefes das unidades retirassem as faixas, comportamento antissidical que merece a nossa mais veemente crítica. O governo acusou o golpe. Surtiu efeito!

Dentro dessa ideia, foi estabelecido o movimento em conjunto com as demais forças da Segurança Pública para a data de 27 de novembro de 2019. A nosso ver a mobilização foi de sucesso, alcançando os objetivos com a mobilização de vários servidores lotados em Delegacias da capital e do interior do Estado.

Da mesma forma a mobilização ocorrida no dia 03 de dezembro demostrou ao Governo do Estado do Paraná e à Assembleia Legislativa que vamos lutar com todas as nossas forças, vamos ainda levar ao conhecimento da população do Estado que esse governo e os deputados da sua base não priorizam a segurança pública e seus aplicadores.

Apesar do sucesso da mobilização, a PEC foi aprovada. Em mais um fato lamentável da história dos políticos do Estado, que nos fez lembrar do fatídico dia em que os deputados estaduais entraram em um camburão, os deputados se dispuseram a sair da Casa de Leis e ir votar na Ópera de Arame, com proteção de grande policiamento, temerosos das ações dos servidores.

O SIDEPOL começa a atuar como um verdadeiro representante classista, onde as ideias são apresentadas, discutidas, e aprovadas pela maioria dos seus membros, mas sempre mantendo o respeito e a urbanidade entre os opositores e suas ideias.

Devemos marcar Assembleia Geral da categoria para o inicio do ano vindouro, em data a ser definida, para que a classe dos Delegados sinalize quais as reinvindicações devemos priorizar, e quais os caminhos o SIDEPOL deve seguir para conseguir êxito.

O novo SIDEPOL, trincheira de luta à disposição dos Delegados e Delegadas, precisa da participação de todos.  Mesmo sem recursos financeiros a entidade já mostra sua força. Precisamos que mais Delegados (as) entrem na nossa página e preencham a autorização para o pagamento da contribuição sindical, em descontos em folha de pagamento.

            Deus abençoe a todos e ilumine as nossas ideias para que possamos agir de acordo com as nossas promessas de campanha, referendadas nas urnas pela maioria dos colegas delegados e delegadas de polícia.

                                                         Antonio Simião

                                                  Presidente do SIDEPOL