Reunião com delegados de polícia que podem ser beneficiários de uma ação judicial milionária.

Como já postado neste site, uma ação milionária poderá ser proposta para filiados do SIDEPOL, com base em uma tese jurídica levantada por um escritório de advocacia da capital, especializado em direito previdenciário. O diretor jurídico da entidade, Delegado Luiz Zavataro, recebeu informação sobre o estudo que estava sendo feito pelo referido escritório, e procurou os especialistas para receber melhores esclarecimentos. Os advogados declararam, em síntese, que identificaram alguns servidores que não receberam diferenças remuneratórias estabelecidas em Lei, diferentemente de servidores em idêntica situação funcional, fato que pode estar gerando flagrante violação ao princípio da isonomia. Segundo os especialistas, a ilegalidade é concreta e comprovável matematicamente. Indagados pelo Diretor Jurídico, eles afirmaram, a título de exemplo, que um dos Delegados deixou de auferir o valor de R$ 754.158,15 (setecentos e cinquenta e quatro mil, cento e cinquenta e oito reais e quinze centavos), havendo grande probabilidade de que outros 19 (dezenove) colegas também façam jus à mesma quantia, ou pelo menos valor aproximado a este. Eles se colocaram a disposição do SIDEPOL para prestarem maiores esclarecimentos quanto à estratégia processual a ser adotada para o reconhecimento da ilegalidade e consequente ressarcimento a ser realizado pelo Estado do Paraná. Pelos nomes apresentados ao Diretor Jurídico, vislumbra-se a possibilidade de que sejam alguns dos mesmos delegados que na década passada recebiam o que ficou conhecido por “tidão”. Vale esclarecer que, infelizmente, é uma ação direcionada a alguns poucos colegas, especificamente, não aproveitando a todos. Os eventuais beneficiários da ação (vide relação abaixo) estão sendo convidados para uma reunião coletiva no SIDEPOL, no dia 13 próximo vindouro, às 14:30 horas, a fim de que possam se inteirar de todos os fatos junto aos especialistas, e decidirem se pretendem ou não, através do Judiciário, buscarem os seus direitos. São eles: Sydnei Michalizen, pensionista de Rubens de Quadros Ribas, Leonil Cunha Pinto, Agenor Salgado Filho, Aparecido Rodrigues, Artur Oscar Correia Braga, pensionista de Armando Marques Garcia, Cláudio Ubiratan Ader Costa, Ernesto dos Santos Neto, Genésio Pontoglio, Gutemberg Luz Neves Ribeiro, João Carlos Pires da Fonseca, José Luiz Fornagieri, Leonyl Ribeiro, Odair Ribeiro, Paulo Ernesto Araújo Cunha, Pedro Nicolau Pinto, Reinaldo Santos de Almeida, Sydnei Cardoso do Prado e Basilio Muzeka.