O SIDEPOL participou nos últimos dias 08 e 09, representado pelos diretores Luiz Antonio Zavataro e Acir Pereira da Silva, de reuniões com os demais Sindicatos e Associações de Servidores do Estado do Paraná para discutir o Decreto 3793/2019 assinado pelo governo Ratinho Junior, que exige que os servidores, em atividade e aposentados, realizem até 31 de janeiro de 2020, váriosprocedimentos burocráticos para o recadastramento e validação de descontos facultativos consignados em folha de pagamento, como é o caso da mensalidade sindical autorizada pelos funcionários.

As reuniões se deram na sede da APP Sindicato e na sede da FASS – Fórum Associativo e Sindical dos Servidores, onde algumas estratégias foram abordadas e já estão sendo adotadas, no campo político e, futuramente, se necessário, no campo judicial para a derrubada do aludido Decreto, ou, no mínimo, a prorrogação de prazo para o seu cumprimento.

Dentre outras atrocidades já cometidas em seu primeiro ano de governo contra os servidores públicos, que começou com a malfadada reforma da previdência feita a toque de caixa – sem a devida discussão – trata-se de mais uma, desta feita com o propósito de enfraquecer a classe dos funcionários, e antecipa as prováveis atrocidades já anunciadas com a reforma administrativa.

A eleição do candidato Ratinho, a reboque da eleição do Presidente Bolsonaro, teve como carro chefe a bandeira da Segurança Pública. Mas o que vemos depois de um ano de governo foram somente medidas que asseguram perdas dos direitos dos trabalhadores e demonstram uma cristalina animosidade do governador com o funcionalismo público de um modo geral.

Os policiais civis em desvio de função continuam cuidando ilegalmente dos presos em delegacias sem que lhes sejam asseguradas as mínimas condições de salubridade e segurança. Além do mais, o governador tentou a todo custo dar continuidade ao mesmo modelo de manutenção de viaturas que foi e é objeto de investigação em razão de irregularidades. Por outro lado, mais da metade dos municípios do Paraná possuem apenas dois policiais militares de serviço. A segurança pública definitivamente em nada melhorou. Paralelamente às perdas de direitos, como consequência imediata, ocorrem a desmotivação e o desânimo do trabalhador delegado de polícia, o que é ruim para a categoria e muito mais para a própria população.

Agora a intenção do governador Ratinho é nítida, no sentido de tentar a desmobilização e o sucateamento das organizações que representam os servidores públicos do estado, já que, criando dificuldades para a arrecadação das mensalidades – sem recursos orçamentários – a luta sindical fica cada vez mais difícil do que já é.

O SIDEPOL está acompanhando dia-a-dia os desmandos da atual administração e vai tornar público o descaso do Governador Ratinho com a segurança das pessoas, com os policiais civis e com a população do Paraná. Em breve uma campanha com outdoores será efetivada para conscientizar os delegados de polícia sobre a necessidade do combate e enfrentamento a esse governo prejudicial à categoria, tendo em vista a inegável certeza de que “o pior está por vir”.