O corpo padece



Visando legitimar uma próxima reforma, que retira vários direitos dos funcionários públicos, o Senhor Ministro da Fazenda Paulo Guedes nos comparou a parasitas. Parasitas são organismos que vivem em associação com outros dos quais retiram os meios para a sua sobrevivência, normalmente prejudicando o organismo hospedeiro. É indiscutível que o Estado – o corpo – padece. Basta você se dirigir a maior parte das instituições públicas para confirmar que o corpo está doente. Mas as causas da doença são outras. Vamos aqui falar da Polícia Civil do Paraná. Várias das Delegacias de Polícia foram construídas no Governo de Moisés Lupion, nos idos de 1950. Por mais absurdo que pareça temos viaturas com mais de 300.000 km rodados. Delegacias onde a população e os funcionários são obrigados a conviver com presos amontoados, em um ambiente gravemente insalubre. Falta de munição e armamento inadequado. Será que a população se esqueceu dos coletes remanufaturados??? Desvios nas verbas para manutenção das viaturas! O quadro da Polícia Civil do Paraná de 1980 prevê cerca de 5000 Policiais Civis, ou seja, em 1980 o Estado do Paraná, após estudos realizados, afirmou que eram necessários 5000 Policiais Civis para que a segurança pública fosse efetiva, de qualidade. Hoje, mesmo diante dos aumentos absurdos da criminalidade, não chegamos a 3900 policiais civis, enquanto ainda encontramos uma quantidade absurda de comissionados – apaniguados políticos –  a maioria deles de salários altíssimos. Senhor Ministro, Policiais Civis não recebem por horas extras e estão legalmente convocados a ficar em disponibilidade 24 horas por dia. Policiais Civis são pessoas da população que um dia sonharam em combater o crime e encontraram uma estrutura ruída e corrompida pela administração, que em quase toda sua história foi dirigida por políticos, categoria na qual o senhor se encontra. Senhor Ministro, Policiais Civis são como glóbulos brancos que vivem, mesmo com todas as deficiências, combatendo organismos infecciosos que buscam aniquilar o corpo. Policiais civis são seres escravizados por gestores como o senhor, e que estão se tornando tão infelizes a ponto de, num ato extremo, tirarem a sua própria vida. Senhor Ministro, são outros os parasitas.

SIDEPOL – Por uma nova política sindical