Presos fogem da cadeia pública de Ibiporã – Precarização na gestão da Segurança Pública do Estado

Na madrugada desta sexta-feira vários presos fugiram da Cadeia Pública de Ibiporã. O que era uma constante no governo de Beto Richa parece que também foi assimilado pelo Governo de Ratinho Junior, que foi secretário de estado no governo anterior. O Governo de Ratinho Junior utiliza-se da mesma precarização na gestão da Segurança Pública do estado. Sob o título de “guarda compartilhada” mantem vários presos, dentre esses inúmeros já condenados e sob a custódia de agentes contratados via PSS (que não receberam treinamento necessário), em carceragens dentro de Delegacias de Polícia construídas nos idos do Governo de Moises Lupion em 1950. A imagem da Polícia Civil do Paraná é constantemente vinculada a esse tipo de precarização, como podemos ver no site
https://paiquerefmnews.com.br/noticia/detentos-da-cadeia-publica-de-ibipora-fogem-nesta-madrugada que além de veicular uma foto da frente da Delegacia de Polícia afirma que “investigadores do Departamento Penitenciário do Estado do Paraná descobriram um buraco”. A custódia de presos não é uma atribuição da Polícia Civil e sua permanência em Delegacias de Polícia, compartilhadas ou não com o DEPEN, é uma ilegalidade que continua a prejudicar além dos próprios policiais civis a população do estado.

Curitiba/PR, 31 de julho de 2020.

Eduardo Mady Barbosa

Diretor de Comunicação Social do

SIDEPOL

Ação anterior – A precariedade da cadeia pública do município, agravada pela situação de superlotação, já havia motivado o ajuizamento de outra ação civil pública pelo MPPR em face do Estado do Paraná em 2018 (autos n.° 0003425-64.2009.8.16.0045). Na ocasião, foi requerida a construção de novo estabelecimento penal na cidade ou a realização de ampla reforma na estrutura existente. Apesar de julgada procedente, a ação aguarda julgamento pelo Tribunal de Justiça do Paraná, já que o Estado interpôs recurso de apelação.